Supernatural: Conhecendo melhor os seres sobrenaturais

Séries com a temática sobrenatural são muitos comuns nos dias de hoje. Temos como exemplo Grimm, o recém acabado Penny Dreadfull, Teen Wolf, Sleep Hallow, entre outras. Entretanto nenhuma é mais duradoura do que Supernatural. A série já vai para sua décima segunda temporada. E aí entra uma questão. Será que a série consegue manter a qualidade após todos esses anos? Veja por exemplo Smallville, a série começou bem (apesar da qualidade técnica questionável). E a medida que as temporadas foram aumentando, percebemos o quanto ela caiu no quesito enredo. Será que o mesmo ocorre com Supernatural? A resposta é mais ou menos.

A Criação

Criado por Erick Kripke e produzida pela Warner Bros. Television, foi lançado em 2005. Tendo suas cinco temporadas maravilhosas, a série caiu bastante no seu sexto ano, com uma história chata e arrastada, que se salvou pelos protagonistas. Já na sétima a coisa começou a melhorar, mas ainda assim não foi tão boa, além dos roteiristas acharem uma desculpa muito ruim para matar os Leviatãs. No caso da oitava e da nona, a narrativa se tornou mais interessante, mostrando a disputa entre anjos(que batalham entre si) e demônios(presentes desde a primeira temporada). A coisa volta a funcionar na décima, quando passam novamente a explorar em seus episódios(algo que as primeiras temporadas souberam fazer muito bem) histórias sobrenaturais. Falando sobre fantasmas, monstros, entre outros.

Série se expandiu cada vez mais

Kripke imaginou apenas três temporadas, mas com o grande sucesso escreveu até quinta, no qual encerrou o enredo principal da série. Mas com aumento cada vez maior da audiência a empresa resolveu expandir ainda mais, renovando para novas temporadas. Hoje, o criador é apenas produtor executivo.

Os Atores

 

supernatural

 

Por mais que a qualidade tenha caído, é inegável falar que os atores sao ruins, muito pelo contrário, eles são o ponto alto de toda a série. Jensen Ackles demonstrou perfeitamente a mudança de seu personagem, como Dean deixou de ser aquela pessoa fria, para se tornar mais humano. Já Jared Padalecki é o que mais mostra as mudanças de personagem, começando com um Sam que não aceita o que sua família faz, querendo seguir sua vida. Tudo muda quando sua namorada é morta por um demônio e seu pai some misteriosamente. A partir daí, Sam começa sua jornada e se torna personagem cada vez mais interessante, sendo que tudo gira em torno dele até a quinta temporada e pouco da sexta.

Ao longo das temporadas vários personagens foram surgindo, infelizmente alguns acabaram morrendo, outros se tornarão tão populares entre o público que acabaram entrando para o elenco fixo. Misha Collins, que interpreta o anjo Castiel, foi se mostrando cada vez mais importante na jornada dos irmãos Winchester. O personagem apareceu na quarta temporada. No início sua participação seria em apenas alguns episódios, mas com a popularidade criada, acabou entrando definitivamente na série. Toda essa popularidade se deve também ao ator. Collins faz seu Castiel de forma segura.

Também temos Mark Sheppard, que interpreta o rei do inferno, Crowely. Por mais que seu personagem seja sempre o malvado, o público simpatiza com ele e algumas vezes torce para que ele consiga o que quer. É um personagem interessante, pois por ser um demônio que ninguém espera algo de bom. Entretanto, por mais que esteja sempre negociando com os irmãos, que precisam de sua ajuda, ele acaba ajudando, ou seja, dependendo do que for exigido, pode ser um excelente aliado.

A série contou também com a participação de Jeffrey Dean Morgan, que apareceu nas primeiras temporadas ao interpretar o pai dos protagonistas. Sua participação foi ótima e faz falta. Outro personagem que faz falta é o Bobby, interpretado por Jim Beaver, amigo da família Winchester, que também é caçador sobrenatural e foi como um segundo pai para Sam e Dean.

A música tema

Como todo boa série que se preze, não pode faltar uma trilha sonora e com Supernatural não diferente. Suas ótimas músicas chamam a atenção do público, principalmente a música tema “Carry On My Wayward Son“, da banda Kansas. Entretanto, ela só é tocada no último episódio de cada temporada, mostrando como foi a caminhada dos protagonistas até aquele momento.

A série tem previsão para ser encerrada na sua décima quarta temporada, ao totalizar 300 episódios. Apesar de nada oficial, a série por mais que audiência ainda esteja em alta, é possível notar um desgaste nas histórias vêm caindo, tendo algumas temporadas boas, outras nem tanto. Tudo isso pode ser por conta do fato que o enredo principal tenha sido encerrado no ano cinco. Agora é aguardar a décima segunda temporada e esperar seu desfecho na décima quarta.

Marco Lotes

Jornalista e aspirante a ator. Pothermaníaco e "dementador de livros" ele é extrovertido, amante da sétima arte e colecionador de relíquias cinematográficas.

Marco Lotes

Jornalista e aspirante a ator. Pothermaníaco e "dementador de livros" ele é extrovertido, amante da sétima arte e colecionador de relíquias cinematográficas.