Criação de personagens: O Protagonista

Veja todo o conteúdo no vídeo:

 

O protagonista é o personagem mais complexo que guia a estória.  Ele não precisa ser humano, pode ser um animal, ser inanimado e até mesmo um objeto. No entanto, ele necessita ter alguns aspectos:

>> Publicidade - O post ainda não acabou. <<
  • O Protagonista tem que ser voluntarioso

Ele precisa ter vontade suficiente para sustentar o desejo ao longo do conflito e finalmente agir e criar mudanças significativas e irreversíveis.

  • O Protagonista deve ter ao menos uma chance de alcançar o seu desejo

A explicação é simples, o público não tem paciência com protagonista que não tenha chances de realizar o seu desejo, pois ninguém acredita nisso em sua própria vida. Ninguém acredita que não tem a menor chance de realizar seus desejos (pode dizer que não, mas seu subconsciente pode dizer outra coisa. Se não, não seria seu desejo).

  • O Protagonista tem que ser ativo

Protagonista muito pacífico não atrai o público.

  • O Protagonista tem que ser empático, ele pode ou não ser simpático.

Simpático quer dizer amável, queremos tê-lo como amigo, parente ou amante.

Já a empatia é uma resposta mais profunda: significa “como eu’’, ‘’alguém para se seguir’’ ou ‘’alguém para torcer’’. O público reconhece certa humanidade compartilhada dentro do protagonista. Se o público não sentir empatia pelo protagonista, a ligação entre público e história está quebrada.

PLURIPROTAGONISTA E MULTIPROTAGONISTA

A sua história não precisa ter apenas um protagonista. Você pode criar duas ou mais pessoas que dividem esse papel principal dentro da história. Há duas classificações quanto a essa escolha: Pluriprotagonista e Multiprotagonista.

Quer saber mais sobre a construção de personagens? Clique aqui!

 

Pâmella

Curiosa demais, não é à toa que virou jornalista. Ama livros, filmes, séries e sabe que “o inverno está chegando”.

Pâmella

Curiosa demais, não é à toa que virou jornalista. Ama livros, filmes, séries e sabe que “o inverno está chegando”.